Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Lost Mind

Oi, paranoia, como vai?

Lost Mind

Oi, paranoia, como vai?


13.04.17

Amor...não completamente

Talvez...não gosto dele. Talvez...gosto da ideia de gostar dele.

Pois é minha gente, ultimamente ando mal de amores. O correto é dizer ando mal da inexistência de amores. O problema é que eu não sei o que sinto. Tudo está muito confuso. Parece ser uma frase clichê, tirada de um filme ou série. Mas é o que realmente eu sinto. O pior é que não tenho com quem falar disso. Bem, até tenho um amigo e ele está ajudar-me imenso. Mas o blog tornou-se uma espécie de consultório onde desabafo as minhas frustrações. E as vossas opiniões ajudam-me bastante. ÁS vezes é bom receber o conselho de um estranho. Conselhos é o que preciso agora. Eu primeiro achava o amor uma cena tão simples. Tipo: eu gosto, tu gostas...bora lá. Mas ele complicou tudo. Complicou o amor. Se calhar não foi ele que complicou. Talvez fui eu que compliquei. Talvez esteja a complicar porque estou ainda agarra ao passado. Não por escolha minha, acreditem. Eu a cinco anos pensei que tinha colocado tudo o que sentia por ele atrás das costas. Pronta para começar a vida do zero. Conhecer novas pessoas, conhecer novas experiências. Até pensei que na realidade não gostava dele, que foi apenas o meu cérebro a pregar-me uma partida. Mas porque fiquei magoada e triste quando vi ele a beijar aquela rapariga? Porquê? Não faz sentindo, percebem? Porque eu tinha esquecido aquele assunto. Esquecido o que "sentia" por ele. Talvez seja esse o problema, esqueci o sentia por ele. Decidi enterrar bem fundo do meu coração os sentimentos que o envolviam e agora tudo vei à tona. Mas o que eu sinto? A verdade é que não imagino um futuro ao lado dele. Não me imagino namorar com ele. Isso é estranho? Gostares de uma pessoa, mas não conseguires imaginar um futuro ao lado dela! O que isso quer dizer? Gosto dele ou penso que gosto dele? Então porque fiquei com ciúmes quando ele beijou aquela rapariga? Entendem agora a minha frustração? Ok, eu poderia dizer o que sinto. Aposto que vocês estão a pensar nisso. Mas ele é tão mau ou pior a lidar com sentimentos. Porém, escrevi-lhe uma carta. Não daquele tipo de cartas lamechas. Não. Escrevi-lhe uma carta a contar a verdade. A contar-lhe como eu me sinto. Pensei em entregar-lhe essa carta. Mas agoro penso que não é boa ideia. Pelo menos escrever a carta deu para libertar um pouco da frustração que sentia. Mas se eu lhe contasse tudo. O que eu perderia? Ele é meu amigo, temos o mesmo circulo de amigos, por isso seria muito mau. As coisas ficariam estranhas, entendem. Mas a questão é esta: perder amizade dele faz-me diferença? Se calhar não me ia importar de deixar ser amiga dele.

p.s. eu entendo se alguém não ler isto até ao fim. Quem quer saber dos meus desabafos amorosos? Mas eu tinha mesmo que escrever. Precisava de libertar tudo o que estava a sentir. E como o blog é meu, eu escrevo aquilo que eu quiser :). Bjs e Boa Páscoa

1 comentário

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Mais sobre mim

imagem de perfil

Blog de Histórias

Caindo das estrelas

"Caindo das Estrelas" é o meu primeiro livro. Quem estiver interessado e quiser ler passe no site artelogy.com Obrigada

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.